Pular para o conteúdo principal

"Abaixa o preço do gás": Carestia incentiva artistas fazerem músicas de protesto

Imagem
Arquivo de Imagem
Gás

Matéria atualizada em 11 de Maio de 2022, às 11h15

O aumento dos produtos derivados do petróleo tem afetado famílias em todo o Brasil e agora passou a fazer parte do cancioneiro nacional. A música "Abaixa o Preço do Gás", da banda A Travestis, critica o aumento do preço do botijão do gás de cozinha e até pede Fora Bolsonaro.

Segundo o Sistema de Levantamento de Preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP), quando o clipe foi lançado no Youtube - em setembro de 2021- o preço médio nacional do botijão de gás era de R$ 97,74. Hoje - 10 de maio - a média de preço nacional é de R$ 113,11.

Leia também:
- Alta do diesel: "Alimentos mais baratos serão mais afetados", avalia economista
- Aumento do Diesel: "Bolsonaro debocha do povo", critica coordenador da FUP

Levando em conta as dimensões do Brasil e a diferença na incidência de impostos, o levantamento de preços mostra que o preço médio não reflete o preço do gás em todo o País. Ao contrário, o mesmo levantamento mostra que o botijão de gás mais barato encontrado pela ANP no País custa R$ 88 e o mais caro, R$ 160.

Segundo Tertuliana, a música "Abaixa o Preço do Gás" surgiu após a banda ter gravado "Sento Pro Moço do Gás", hit que começou a ser cantado pelos fãs contra o preço do gás de cozinha. "Reparei que a galera estava usando muito a minha música anterior para falar sobre o preço do gás e decidi gravar uma versão que fosse militante, que trouxesse um protesto".

Porém, a cantora acredita que o preço do gás não é único problema que o Brasil passa atualmente e se posiciona: "Os direitos básicos pelos quais a gente luta enquanto militância estão sendo todos atacados, o custo de vida está lá cima. Está insustentável a vida no Brasil dentro de um governo de extrema direita, principalmente esse governo do Bolsonaro que exalta um monte de opressões".