Pular para o conteúdo principal

A poupança ainda é o melhor investimento?

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Entrevista com Laianna Santiago, consultora financeira, mostra que a poupança já teve dias melhores. Ela propõe um novo tipo de investimento.

Qual investimento faz seu dinheiro crescer mais?

A poupança ainda é o investimento mais popular no Brasil. Segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 70% dos consumidores brasileiros possuem uma aplicação do tipo. A pesquisa, realizada pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), ainda traz outros resultados.

São vários os motivo pelos quais os investidores escolhem a poupança, dentre eles, proteger-se contra imprevistos e a realização de um sonho ou um planejamento para o futuro. Os imprevistos mais citados foram doenças ou morte (28,6%), desejo de garantir um futuro melhor para a família (28,0%), aposentadoria (21,5%), a compra da casa própria (21,2%) e reserva para o caso de ficar desempregado (19,5%).

Segundo a consultora financeira Laianna Santiago, essa tendência está mudando. “O amplo acesso à informação focada em finanças e investimentos incentiva os investidores a buscarem alternativas mais rentáveis”, explica.

Mesmo assim, a consultora diz que não é só isso. Acompanhe a entrevista e conheça o investimento recomendado por ela.

Reconta Aí: Os brasileiros sempre utilizaram a poupança como investimento. O que você acha disso?


Laianna Santiago: O primeiro ponto a ser avaliado sobre a poupança é porquê as pessoas utilizavam e ainda utilizam bastante esse recurso. Antigamente, até o dia 3 de maio de 2012, a poupança rendia 0,5% ao mês, mais a Taxa Referencial. Além disso, a poupança era amplamente recomendada pelos gerentes de banco, que até pouco tempo atrás eram os principais consultores financeiros no mercado.

O outro motivo era o contexto da época, que tinha juros mais altos. Logo, a poupança alcançava mais rentabilidade, era fácil ter bons rendimentos em investimentos e havia um retorno interessante com risco baixíssimo.

Reconta Aí: Essa tendência se mantém ou isso está mudando?


Laianna Santiago: Esse panorama está mudando. A partir do dia dia 4 de maio de 2012, a poupança passou a render 70% da taxa Selic. Isso fez com que essa taxa de juros, que é determinada pelo Copom, começasse a ser fundamental para o rendimento da poupança e dos ativos de renda fixa.

A poupança tem rendido muito menos, muitas vezes abaixo da inflação, o que significa que nem o poder de compra está corrigido. Além disso, uma coisa que tem mudado bastante é o amplo acesso à informação focada em finanças e investimentos.

Isso fez com que as pessoas pudessem estudar sobre investimentos cujo retorno é melhor, muitas vezes com segurança equivalentes à da poupança.

Reconta Aí: Existe algum outro investimento que tenha a mesma facilidade e segurança da poupança?

Laianna Santiago: Temos uma série de ativos financeiros com rentabilidade superior e segurança equivalente à da poupança. Quando falo sobre isso, a primeira coisa que me vem em mente é o Tesouro Direto. Dentro do Tesouro Direto e dos títulos públicos, há o Tesouro Selic. Ele é um título pós-fixado que acompanha a oscilação da taxa Selic, ou seja, ajusta a remuneração de forma justa, de acordo com o mercado.

Como a oscilação de preço é bem baixa, então o risco desse investimento é o menor possível. Com baixo risco, é um investimento mais conservador que rende 100% da Selic, enquanto a poupança paga 70%.

A facilidade do Tesouro Selic é a possibilidade de investir nesse ativo pelo próprio banco, usando o aplicativo. Além disso, exige a partir de R$ 112,00 como investimento inicial e é possível fazer uma programação para que todo mês esse valor seja depositado de maneira automática nessa aplicação.

Reconta Aí: Essa é a melhor aplicação financeira hoje?

Laianna Santiago: É importante ressaltar que em um contexto da renda fixa, rendendo cada vez menos por conta da redução da taxa Selic, o investidor precisa diversificar seu patrimônio se quiser alternativas mais rentáveis. Sem a diversificação, fica impossível alcançar resultados mais robustos. Mas para quem quer começar, o Tesouro Selic é essencial para entrar no mundo dos investimentos.

Laianna Santiago é consultora financeira na Rio Claro Investimentos.