Pular para o conteúdo principal

7 de Setembro: Movimentos populares divulgam locais em que ocorre Grito dos Excluídos

Imagem
Arquivo de Imagem
Grito-dos--Excluídos-e-Excluídas

Os movimentos e entidades que organizam anualmente o Grito dos Excluídos divulgaram nesta terça-feira (6) o mapa de atos que devem ocorrer no Brasil.

O Grito ocorre anualmente, com apoio da CNBB, no dia Sete de Setembro. O lema deste ano é "Brasil: 200 anos de (In)dependência. Para quem?" e o tema, por sua vez, será "Vida em primeiro lugar”. Confira a lista de manifestações aqui.

"Eu diria que o nosso Grito hoje, não vem de alguém que está montado num cavalo, às margens do rio, mas o nosso Grito é com os excluídos e excluídas, o nosso Grito é também o Grito do rio que está sendo aterrado, que está sendo envenenado, é também o Grito das florestas que estão sendo derrubadas, é também o Grito de tantos irmãos e irmãs que lutam por vida e vida com dignidade", declarou dom José Valdeci Santos Mendes, bispo da diocese de Brejo (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para Ação Sociotransformadora (Cepast) da CNBB.

No bicentenário da Independência, a tradicional manifestação ganha, obviamente, um simbolismo mais forte. “É um chamado ao povo brasileiro, no dia em que se comemora uma ‘independência formal’, para lembrar que essa independência ainda não foi conquistada plenamente”, sustenta a secretária de Mobilização e Relação com os Movimentos Sociais da CUT Nacional, Janeslei Albuquerque.

Originalmente, por conta do clima da campanha eleitoral, organizações populares planejavam manifestações de rua apenas no dia 9 de setembro - evitando comparações e possíveis tensões com atos de apoiadores de Jair Bolsonaro. Por conta do histórico do Grito, realizado desde 1995, decidiu-se, entretanto, manter a data tradicional das manifestações.

Leia também:
- Quem é Michelle Bolsonaro? Do esquema de rachadinha com Queiroz à defesa de corrupção no MEC
- Quem é Fabrício Queiroz? Ex-policial militar, é um dos pivôs do escândalo das rachadinhas