Banco Público deve atuar além do olhar de rentabilidade dos bancos privados. Caixa anuncia novas medidas de apoio à economia do País.

Na contramão dos bancos privados, que visam exclusivamente os lucros, os bancos públicos estão anunciando medidas para apoiar o brasileiro nessa pandemia do coronavírus.

De acordo com o economista e coordenador do Reconta Aí, Sérgio Mendonça, os Bancos Públicos são fundamentais nesse momento de crise, já que eles atuam além do olhar de rentabilidade dos bancos privados.

“Como o controlador dos Bancos Públicos é o Estado brasileiro, eles podem viabilizar linhas de crédito, adiar cobranças, diminuir taxas e viabilizar suas redes para o enfrentamento da crise. E, sobretudo, podem atuar contra-ciclicamente na contramão da recessão/depressão que se avizinha”, explica Mendonça.

Ações da Caixa

A Caixa anunciou, nesta quinta-feira (19), novas medidas de apoio à economia do País. O objetivo é reduzir os impactos da crise causada pela propagação do coronavírus. Para contratos de pessoa física e jurídica e contratos habitacionais, o Banco oferece pausa por até 60 dias no pagamento de dívidas.

Essa suspensão de até 60 dias valerá para todos os brasileiros, de acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. “Começamos com 60 dias, mas havendo necessidade irá para 90, irá para 120 dias. Nós ampliaremos conforme a necessidade. A Caixa reage e atua conforme a demanda”, explica.

O Banco Público também reduziu a taxa de juros nas linhas de crédito pessoal. Crédito consignado terá taxa a partir de 0,99% a.m., penhor a partir de 1,99% a.m. e CDC a partir de 2,17% a.m. Para as micro e pequenas empresas, a redução de juros será de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% a.m.

Santas Casas e Hospitais Filantrópicos que prestam serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS) contarão com a liberação de R$ 3 bilhões em orçamento para reestruturação de dívidas e novos recursos. A taxa de juros foi reduzida para 0,80% a.m., com prazos de até 60 meses, e para 0,87% a.m., com prazos de até 120 meses. Além disso, a carência será de até seis meses.

Atendimento do Banco

Para minimizar os riscos de contaminação e exposição dos clientes ao coronavírus, a Caixa recomenda a utilização dos canais digitais como Internet Banking, App CAIXA e terminais de autoatendimento.

Leia também:
Coronavírus: Como fica o pagamento de boletos?
Belluzzo: “Não deve haver limite para intervenção do Estado, porque não há limite para a crise”