Já são 21 mil petroleiros em greve, em 13 estados do País

Em greve há 17 dias, a paralisação dos petroleiros já mobiliza cerca de 64% dos efetivos operacionais da Petrobras e subsidiárias, em 13 estados do País. Já são 21 mil petroleiros aderidos à greve, em um universo de aproximadamente 33 mil trabalhadores.

Os trabalhadores da Petrobras pedem a suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR). Além disso, eles querem o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

O secretário de Assuntos Jurídicos e Institucionais da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, denuncia que os profissionais contratados pela companhia, com autorização da Justiça, vêm trabalhando em condições precárias.

“As equipes de contingência estão desgastadas fisicamente, em um número pequeno, colocando em risco suas vidas, as instalações, o meio ambiente e as comunidades em torno das várias unidades operacionais”, disse.

Ele explicou ainda que essas pessoas estão em uma condição crítica por a gestão não querer negociar absolutamente nada. “Estão colocando em risco não somente o abastecimento do mercado nacional de derivados de petróleo, mas vidas humanas”, acrescenta.

Administração da Petrobras

Na última semana, o presidente da Petrobras Roberto Castelo Branco anunciou que os profissionais contratados em regime de urgência vão garantir a produção de petróleo até o fim da paralisação.

O diretor-geral da Agência de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Odone, também se posicionou sobre a paralisação. De acordo com ele, a greve não irá causar impacto ao mercado.

#EuApoioAGrevePetroleira

Nesta terça-feira (18), uma grande marcha nacional será realizada no Rio de Janeiro. A manifestação terá a participação de caravanas de trabalhadores de vários estados.

A concentração será a partir das 16h, em frente à sede da Petrobras, onde está instalada a Vigília Resistência Petroleira.

petroleiros

Com informações da FUP.