O Banco do Brasil obteve lucro líquido de R$ 18,16 bilhões em 2019. O montante equivale a um aumento de 41,2% ante os resultados do ano anterior, quando registrou R$ 12,86 bilhões de lucro.

O lucro líquido ajustado, que exclui itens extraordinários como a reserva legal para servir de garantia a credores, foi de R$ 17,84 bilhões, representando uma alta de 32,1% em relação a 2018.

Os dados foram sistematizados no relatório de resultados do quatro trimestre de 2019. Levando-se em conta este período específico, o lucro foi de R$ 5,69 bilhões, crescimento de 49,7% em comparação com o mesmo período do ano anterior, e aumento de 33,8% ante o 3º trimestre, que apresentou lucro de R$ 4,25 bilhões.

O lucro líquido ajustado no quarto trimestre somou R$ 4,62 bilhões, elevação de 20,3% em relação aos últimos três meses de 2018.

O Banco do Brasil apontou também que o Conselho de Administração da instituição manterá o intervalo de 30% a 40% do lucro líquido a ser distribuído a acionistas.

Outras instituições

O maior lucro para 2019 entre os bancos que operam no País foi alcançado pelo Itaú – R$ 26,583 bilhões. Um aumento de 6,4% ante 2018 e o maior resultado anual sem ajuste inflacionária já registrado por uma instituição financeira no Brasil.

O Bradesco fica em segundo na lista, com lucro de R$ 22,6 bilhões, crescimento de 18,32%. O Santander registrou lucro de R$ 14,181 bilhões, elevação de 16,6%.