Dia de Luta em defesa do patrimônio brasileiro aconteceu em várias cidades brasileiras e marcou o 159º aniversário da Caixa

Caixa
Dia de Luta no Rio de Janeiro

Em defesa da Caixa, empregados e entidades se reuniram nesta segunda-feira (13) para o Dia de Luta. O ato aconteceu em todo o Brasil e marcou o 159º aniversário do banco. A manifestação é contra as medidas de fatiamento, venda das partes lucrativas do banco e da retirada de direitos dos trabalhadores.

O presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira, participou do evento em Brasília e destacou que, nesses 159 anos, o banco tem mostrado a sua capacidade e o seu compromisso com o desenvolvimento do Brasil.

“É nosso papel não deixar que o governo acabe com a Caixa. Ficou fácil falar em vender tudo o que está à disposição. Se o banco dá lucro administrando os seus produtos, por que temos que buscar sócios privados? O Brasil é quem perde com isso, pois os dividendos passam a ser repassados para os investidores. Nós não podemos ter uma Caixa aos pedaços”, disse.

Uma funcionária da Caixa, que não quis se identificar, disse que não tem muito o que comemorar com o aniversário do banco. “Eu vejo uma certa inércia entre os funcionários. Não sei se é medo ou se é por não saber o que está acontecendo. Por isso, acho muito importante um movimento desse tipo para chamar os funcionários a ter consciência do que está acontecendo”, desabafa.

No Rio de Janeiro, o ato aconteceu em frente ao Barrosão, antiga sede da Caixa, e contou com a presença do vice-presidente da Fenae, Sérgio Takemoto. Em seu discurso, Takemoto ressaltou a importância de resistir ao fatiamento da Caixa. “Esse fatiamento representa um grande ataque às políticas sociais que a Caixa desenvolve, pois com ele o banco deixa de ter recursos para o Minha Casa Minha Vida, o Fies e tantos outros programas operados por ele”, explica.

Além de Takemoto, a manifestação também contou com a participação da presidente do Sindicato dos Bancários do Rio Janeiro, Adriana Nalesso, e do vice-presidente, Paulo Matileti. O evento marcou ainda o lançamento oficial da campanha nacional #ACaixaÉTodaSua no Rio de Janeiro.

A iniciativa é promovida pelo Comitê Nacional em Defesa da Caixa que reivindica a manutenção do banco 100% público e contesta a venda de ativos do banco, e percorre todo o Brasil a fim de conscientizar a população quanto aos riscos que o fatiamento da instituição representam aos trabalhadores.

A Caixa é toda sua

O Comitê Nacional em Defesa da Caixa lançou a campanha nacional #ACAIXAÉTODASUA. O objetivo é impedir os planos da atual gestão de vender as áreas mais lucrativas do banco. Chamando assim a atenção dos empregados e da sociedade para os prejuízos que essas medidas poderão trazer.

A Caixa faz parte da vida dos brasileiros há 159 anos. Foram as partes lucrativas da instituição que permitiram a realização do sonho da casa própria de milhares de famílias, com taxas menores. O banco também é responsável pela operação da área social, como benefícios ao trabalhador e acesso a produtos e serviços por meio da bancarização.