Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad) divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira (29), o Brasil bateu novo recorde de informalidade.

A pesquisa considera o último trimestre móvel, encerrado em outubro, e contabiliza 11,9 milhões de trabalhadores sem carteira assinada no setor privado.

A informalidade fica estatisticamente estável se comparada ao semestre anterior, mas apresenta alta de 2,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Isso quer dizer que existem 280 mil novos trabalhadores sem registro formal no mercado de trabalho. Trabalhadores por conta própria, também considerados informais, chegam a 24,4 milhões.

Esse número também ficou estável em relação ao trimestre anterior, mas 3,9% maior em relação ao mesmo período de 2018, ou seja, são 913 mil pessoas a mais.

O desemprego ainda atinge 12,4 milhões de brasileiros. Esse número permanece estável em relação ao trimestre anterior. Veja a pesquisa completa aqui.