O Festival Internacional de Cultura da Periferia Favela Sound acontece em Brasília até o dia 17 de novembro com entrada gratuita.

Favela Sound acontecerá de 11 à 17 de novembro em Brasília.

Nascido em Brasília para divulgar a cultura e a música das favelas do Brasil e do mundo, o Favela Sounds foi sucesso desde a sua criação. A primeira edição do festival aconteceu no Distrito Federal, em 2016, e apresentou ao público nomes como Baiana System e Rincon Sapiência.

Nesse ano, o festival – que está em sua quarta edição – está mais internacional do que nunca. Não só serão apresentadas atrações estrangeiras, mas também colocará uma “lente de aumento” na música brasileira e a levará para o mundo. Dos cinco dias de festival, dois terão shows e três contarão com uma intensa programação cultural.

Com quatro dias de atividades, as oficinas de debates começaram no dia 11 e são voltadas para quatro regiões administrativas do Distrito Federal.

Já os shows acontecem no Estádio Nacional Mané Garrincha entre os dias 16 e 17 de novembro. Os ingressos podem ser adquiridos aqui e são gratuitos.

Confira:

// 16 DE NOVEMBRO – SÁBADO //

Abertura dos portões: 16h

  • AFOXÉ OGUM PÁ (DF)
  • DORALYCE (PE)
  • PAULO AMARO (DF)
  • MAJUR (BA)
  • ALT NISS (SP)
  • GATO PRETO (MOÇAMBIQUE/ALEMANHA)
  • ENME PAIXÃO (MA)
  • TÁSSIA REIS (SP)
  • DJ BYANO (RJ)
  • SHEVCHENKO & ELLOCO (PE)
  • TYRONE (DF
// 17 DE NOVEMBRO – DOMINGO //

Abertura dos portões: 17h

  • 7 NA RODA (DF)
  • PRETHAIS (DF)
  • TUYO (PR)
  • DJAM NEGUIN (CABO VERDE)
  • VANDAL (BA)
  • TRAP FUNK & ALÍVIO (BA)
  • A DAMA DO PAGODE (BA)
  • DJ DONNA (DF)
  • BLACK ALIEN (RJ)
  • IASMIN TURBININHA (RJ)

O evento conta ainda com oficinas em espaços culturais independentes, debates em escolas públicas e atividades culturais no Sistema Socioeducativo do DF. Os números do Favela Sound são grandiosos, assim como os talentos que se apresentarão:

  • 56 atrações culturais;
  • 59 horas de música no palco;
  • 12 oficinas de iniciação profissional;
  • 14 debates em escolas públicas;
  • 1 Slam;
  • 8 atividades no sistema socioeducativo do DF;
  • 800 empregos diretos e indiretos gerados;
  • 20 ônibus fretados para trazer a periferia para o centro;
  • 70 mil pessoas como público esperado.

Confira um pouco da primeira edição no vídeo abaixo.