A Medida Provisória (MP 889/2019), apresentada ao Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro, permite que a gestão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) será realizada por bancos privados. Mas o que isso significa? A gente explica!

Criado em 1966, o FGTS é uma espécie de poupança dos trabalhadores. Ele é formada pelo valor depositado mensalmente pelos empregadores para casos de demissão, doenças graves ou até para aquisição da casa própria.

Atualmente, esse fundo é gerido pela Caixa, um Banco Público que usa parte dos recursos do FGTS  para a realização de obras de infraestrutura nas cidades e para financiar programas como o Minha Casa Minha Vida

Porém, o fim do controle do FGTS pela Caixa Econômica pode significar muito mais: além do enfraquecimento destes programas, pode complicar a vida do trabalhador – que terá que procurar em vários bancos onde estão os rendimentos do seu FGTS, já que cada empresa poderá escolher onde depositar  – além de gerar lucro apenas aos bancos privados. 

Não entendeu ainda? A gente explica! Confira o vídeo: