A Petrobras foi criada em 1953, durante o governo Vargas, fruto das campanhas pelo “petróleo é nosso”. É responsável pela descoberta do pré-sal e alvo de interesses escusos

Há 66 anos, nascia uma das maiores estatais brasileiras: a Petrobras. Criada em 03 de outubro de 1953, durante o governo de Vargas, é fruto das campanhas pelo “petróleo é nosso”, que ecoavam nos anos 40.

É dela a responsabilidade pela construção do maior parque de refino da América Latina, pelo desenvolvimento da indústria nacional e também pela descoberta do pré-sal (2010) que, com pouco mais de 10 anos de atividade, já é responsável por 60% de todo o petróleo produzido no país.

Tecnologia de ponta para exploração do petróleo

A empresa já recebeu por três vezes o prêmio internacional OTC Distinguished Achievement Award for Companies, Organizations and Institutions, considerado o Oscar do setor. Foi premiada por desenvolver tecnologia de ponta para explorar petróleo em águas profundas e ultraprofundas.

Diante de feitos tão grandiosos, é de se esperar que ela seja também alvo de grandes interesses nacionais e estrangeiros. E ao falarmos de um setor estratégico, que motiva guerras em todo o mundo, é fundamental para o desenvolvimento do País que a empresa se mantenha pública.

Professor Willian Nozaki falou sobre questões geopolíticas e econômicas do petróleo

O petróleo é nosso

A sanha privatista seguida pelo governo de Jair Bolsonaro usa de artifícios como a devassa produzida pela Operação Lava Jato e uma construída e mentirosa falta de lucro para justificar o fatiamento e a venda da Petrobras. Esse falso argumento não se sustenta: no segundo trimestre de 2019, a empresa registrou lucro recorde de R$18,87 bilhões.

Números que impressionam: Dados do Relato Integrado 2018/ Última atualização: abril de 2019

A importância das subsidiárias da Petrobras

A Petrobras jamais teria a liderança no segmento se não tivesse subsidiárias que apoiam sua produção. Atualmente, a empresa possui 20 subsidiárias principais. Além da exploração de petróleo e gás também produz energia elétrica, produção petroquímica, refino de petróleo e gás, produção de biocombustíveis, distribuição, transporte e comercialização.

Paulo Guedes, ministro da Economia, já leva a cabo seu plano de privatização da empresa com a venda dessas refinarias: foram 4 somente em setembro. Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras, segue a mesma linha: quer que oito sejam vendidas até 2021.

Falta combinar com os russos

Falar em privatização das maiores estatais brasileiras se torna um cabo de guerra entre governo e povo. Pesquisa Datafolha realizada em 29 e 30 de agosto mostra que a maior parte da população é contra as privatizações. Quando o assunto é especificamente a Petrobras, temos 65% dos entrevistados contra a venda.

O enfraquecimento da estatal só interessa ao mercado financeiro e aos grandes tubarões do setor petroleiro, que podem adquirir a preços baixos o patrimônio brasileiro.