A possibilidade do fechamento de agências foi falado por Pedro Guimarães em audiência pública na Câmara dos Deputados.
O ecomista do Dieese, Sérgio Lisboa, fala sobre a importância da Caixa, enquanto Pedro Guimarães contempla a plateia.

Na tarde desta terça-feira (1º), o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, compareceu em audiência na Câmara dos Deputados para debater assuntos referentes ao Banco Público, como os rumores de privatização, corte de funcionários e venda de ativos. O pedido de audiência foi realizado pela deputada Érika Kokay.

Ao responder a perguntas de parlamentares, Guimarães assumiu que o fechamento de agências é uma possibilidade. Segundo ele, isso pode acontecer depois dos pagamentos do FGTS (que terminam em 2020) e se trata de “uma questão matemática”.

A questão do número de funcionários é um dos principais problemas enfrentados hoje pelos empregados da Caixa. Em 2014, o banco contava com 101 mil trabalhadores e um déficit de 2 mil. Agora, tem 84 mil – 17 mil a menos.

Esse fato tem refletido no atendimento à população e também na saúde dos empregados da Caixa. A declaração do possível fechamento de agências feita pelo presidente Pedro Guimarães é um indício claro de que isso tende a piorar.