Sem mais explicações, a Caixa Econômica cancelou as apresentações do espetáculo Abrazo, da Companhia Clowns de Shakespeare, que ocorreriam em setembro, no espaço Caixa Cultural Recife. Diante disso, a Justiça Federal de Pernambuco convocou a CEF para apresentar explicações.


De acordo com a determinação da juíza federal Danielli Farias Rabello Leitão Rodrigues, da 2ª Vara da Justiça Federal, a Caixa terá cinco dias para apresentar as alegações. A determinação saiu na quinta-feira (12) e o prazo passa a contar quando a Caixa receber a intimação.

No sábado, manifestantes caminharam da Praça do Arsenal da Marinha até a porta da Caixa Cultural falando, em coro, palavras de ordem como “Arte Livre” e “Censura Nunca Mais”. Logo após, uma apresentação gratuita do espetáculo foi feita em outro local.

Caixa não se manifesta, diretor de Abrazo fala em censura

A Caixa ainda não se manifestou sobre o caso, mesmo tendo vários comentários questionando o cancelamento em suas redes sociais.

Reprodução dos comentários do perfil da Caixa Cultural Recife no Instagram

Em seu perfil no Instagram, Márcio França, diretor do espetáculo, publicou uma nota oficial. Leia:

View this post on Instagram

Este sábado marcará uma semana desde o cancelamento da segunda sessão da obra Abrazo, na Caixa Cultural Recife. Desde então, as tentativas de comunicação com a Caixa tiveram retornos inconsistentes, resumindo-se a alegar que havíamos infringido o inciso VII da Cláusula Quarta, que prevê que a contratada seja obrigada a “zelar pela boa imagem dos patrocinadores, não fazendo referências públicas de caráter negativo ou pejorativo”, e que isso teria ocorrido no bate-papo realizado após a primeira sessão. Ainda sem ideia do que poderia ser alegado, uma vez que não reconhecemos nada que pudesse gerar esse tipo de reação, e diante da ausência de informações adicionais, não conseguimos imaginar outra razão para essa recisão que não seja censura ao nosso trabalho e pensamento. Dessa forma, nesta quinta, 12/09, foi aberto um processo judicial apresentando um pedido de tutela antecipada em caráter antecedente, junto à 2a Vara Federal da Justiça Federal/PE. Paralelamente, com muita alegria e comoção tomamos conhecimento da criação de uma ação em protesto contra a censura numa iniciativa dos movimentos “Batendo o Texto na Coxia” e “Virada Cultural do Teatro Parque”, que rapidamente ganhou adesão de inúmeros grupos, movimentos sociais, artistas e da população em geral. Agregando força a esse ato, e graças ao apoio de muitos parceiros, conseguimos uma pauta no Teatro Apolo, e lá faremos uma apresentação do espetáculo ao final do ato, que terá como concentração a Praça do Arsenal, às 15h (horário que iniciaria a primeira sessão), de lá seguiremos para a frente da Caixa Cultural, e então partiremos ao Teatro Apolo, onde faremos a apresentação, com acesso gratuito, mediante a limitação de lugares da casa. Assim, acreditamos que fecharemos a primeira etapa dessa jornada tão intensa, difícil, mas ao mesmo tempo repleta de suporte e carinho de tanta gente, novos e antigos parceiros, instituições e pessoas que acreditam nos mesmos princípios que nós, e que lutam por um país livre e democrático. Convocamos todos a juntarem-se a esse movimento neste sábado, 14 de setembro, às 15h, na Praça do Arsenal, Recife, com todos de camisas e bexigas brancas! Abrazos a todas e todos!

A post shared by Marco França – Ator e Músico (@clownamado) on

Saiba mais sobre a peça, que foi inspirada em obra de Eduardo Galeano