Pegamos carona no título da série para mostrar os pontos mais importantes sobre a crise que está se instaurou no Brasil por causa das queimadas na Amazônia.

  1. Segundo a Folha de São Paulo, a queimada começou porque fazendeiros em toda Amazônia marcaram um dia especial de apoio ao presidente Bolsonaro, o Dia do Fogo em 10 de Agosto. O episódio já está descrito e documentado até na Wikipedia e foi observado por imagens de satélite da Nasa!
Amazônia em chamas gera crise mundial.
Ao que parece não foi uma boa ideia…

2. O incêndio tomou grandes proporções e intoxicou por semanas a população do Norte do país, aumentando casos de doenças respiratórias. Além das queimadas que aumentaram o número de doenças respiratórias, o Norte do Brasil padece de falta de médicos e infraestrutura hospitalar. Isso instaurou o caos na região.

O Diário da Amazônia alertou em 12 de agosto sobre a situação do ar e ao longo da matéria fala sobre as questões de saúde.

3. As queimadas desenfreadas na região ocasionaram também ‘apagões’ na região, aumentando o mal estar da população amazônida. A situação foi relatada pelo Professor Nazareno no site News Rondônia.

A crise na Amazônia saiu do $%#@ do mundo e ganhou contornos internacionais.
Esse título arrepia os cabelos…

4. No dia 19 de agosto, às 15h o céu da cidade de São Paulo ficou preto. Os moradores da cidade ‘enlouqueceram’ no Twitter criando teorias para o fato, de que havia anoitecido tão cedo. De eclipse a apocalipse, as teorias versaram sobre tudo!

A Amazõnia regula o sistema climático no Brasil e no mundo.
A imprensa se apressou, mas na verdade as primeiras explicações para o fenômeno vieram das próprias redes sociais. Especialistas que acompanhavam a tragédia no Norte falaram sobre as queimadas.

5. Sabendo da tragédia ambiental que ocorria no Norte desde o dia 10 de agosto, e a consequência grave dessa situação para todo o país, a população começou a se mobilizar pela internet. Hahstags em apoio à Amazônia surgiram.

A crise mobilizou até a Madonna!
A Amazônia mobilizou artistas, celebridades, jogadores de futebol e sobrou até pra Bolsonaro ser chamado de Borsalino pela diva do Pop, Madonna.

6. Um ‘boom’ de notícias sobre o tema começou a acontecer. A imprensa foi atrás de especialistas e finalmente houve acesso aos dados do crime ambiental em sua totalidade.

De Inpe à Nasa especialistas dizesm que o foco das queimadas tem caráter criminoso, e imagens comprovam o caráter multifocal da ação.

7. Enquanto as redes sociais se agitavam, consequências políticas à queimada da maior floresta tropical do mundo surgiam. O primeiro a se manifestar foi o presidente da França, Emmanuel Macron, que pediu uma reunião de emergência com o G7, o grupo das maiores potências mundiais, pra discutir o tema.

De exploração em exploração é que não sobre um tostão (de floresta, no caso)

8. Assim que o presidente Macron disparou me seu Twitter pessoal uma crítica aos cuidados com o crime ambiental perpetrado contra a Amazônia, o presidente do Canadá o apoiou.

Parece que temos cada vez menos amigos no mundo.

9. E a Finlândia também apoiou França e Canadá, aprofundando suas críticas e a levando ao nível de sanções comerciais à pecuária brasileira.

Os rebanhos brasileiros estão em risco.

10. A crise chegou a tal ponto que junto à França, Canadá e Finlândia juntou-se a Alemanha, que já vinha tendo problemas ambientais com o Brasil desde o imbróglio feito pelo governo brasileiro com o Fundo Amazônia, está pedindo sanções econômicas.

Crise diplomática e crise financeira.

11. Só no Brasil que o governo desdenha do Fundo Amazônia num dia e no primeiro momento de crise, na semana seguinte, já usa o dinheiro?

12. Irlanda juntou-se ao grupo das grandes potências que exigem mudanças do governo em relação à Amazônia e disse que se continuar assim, vota contra o acordo Mercosul – União Europeia.

Irlanda está sapateando sobre o Brasil.

13. Entre idas e vindas, crises diplomáticas e crise interna, a Amazônia segue queimando. Animais, plantas dos mais variados tipos e toda a biodiversidade estão se transformando em fumaça, produzindo não só questões econômicas, mas impactos para a vida humana. A Amazônia está chegando ao ponto sem volta, se mais for queimado e destruído a floresta não se recuperará.

A crise não é por causa da Amazônia,l é pelos crimes que cometem contra ela.
Arte de Lídia Farias incita questões sobre a morte de um bioma e a soberania nacional. Qual será o destino da maior floresta tropical do mundo?