O fim da superintendência do Banco do Brasil em Rondônia faz parte do plano de readequação da instituição. A medida retira do estado com o 5º menor PIB do Brasil uma importante ferramenta de desenvolvimento.

Palácio do Governo de Rondônia.

A reorganização institucional do Banco do Brasil anunciada em 29 de julho chegou ao estado de Rondônia pegando de surpresa as autoridades locais e a população.

Dos 52 municípios do estado, 35 possuem postos de atendimento do Banco do Brasil, que recebem uma população de aproximadamente 1,8 milhões de habitantes. As principais atividades econômicas do estado são agricultura, pecuária, indústria alimentícia e o extrativismo vegetal e mineral.

A produção do estado é fortemente ligada à agropecuária. Segundo o IBGE, a exportação de carne bovina congelada corresponde à 43,43% e a de soja 32,77% das vendas para o exterior.

O maior financiador do setor é o Banco do Brasil, em nível estadual e nacional. A falta de uma superintendência do BB no estado pode dificultar a vida dos produtores e da população em geral.

João Fukunaga, coordenador da comissão de empresas dos funcionários do Banco do Brasil crítica a retirada da superintendência do estado: “Essa postura do Banco de reduzir custos a todo momento, fechando unidades, e a especialização, delas gera um prejuízo enorme. O fechamento da superintendência em Rondônia, mina a especialização e a decisão estratégica local. Desrespeita a especificidade local, o comércio, a indústria e o agronegócio do estado e levando decisões estratégicas para outro local que não tem familiaridade com os setores de Rondônia.”

Os deputados estaduais de Rondônia questionam o Banco do Brasil

Deputados estaduais manifestaram por meio de nota pública o descontentamento com a forma autoritária que se deu o fechamento da superintendência, acompanhe a íntegra do documento:

“A Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, através do seu presidente, Laerte Gomes, vem a público repudiar, veementemente, a postura da diretoria nacional do Banco do Brasil que, sem qualquer justificativa prévia ou debate com a sociedade e autoridades estaduais, comunicou o fechamento da Superintendência do Banco do Brasil em Rondônia, bem como a reestruturação das agências em diversos municípios.

Em comum acordo, todos os parlamentares desta egrégia Casa de Leis, concordam que tal iniciativa, drástica e imediata, representará graves prejuízos ao Estado, em especial ao setor produtivo que, diante da implementação das mudanças, obriga os produtores a buscarem tratativas de investimentos estratégicos em uma superintendência com sede em outro estado.

Nessa perspectiva, afirmamos nossa posição inflexível a favor do respeito para com todos os usuários desta instituição bancária, que é um banco público e que diante de tais mudanças anunciadas, além das consequências aos setores que necessitam recorrer a crédito e microcrédito, reduzirá o número de funcionários, aumentando as filas e o tempo para atendimento.

Afirmamos que buscaremos apoio junto a bancada federal rondoniense e a Presidência da República para que a decisão do Banco do Brasil possa ser suspensa e revista.

Deputados estaduais de Rondônia”