A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deu uma notícia ruim para os brasileiros, no fim do mês de julho, que passou despercebida (em meio a tantas outras). Neste mês, ♪ bandeira vermelha, amor ♪ , as nossas contas de luz ficarão mais caras.


Isso porque haverá uma cobrança extra de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em julho, a cobrança foi da bandeira tarifária amarela, quando há um acréscimo de para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos.

Não entendi muito direito


Pera pera pera, uma coisa de cada vez. Vamos entender esses quilos todos. O kilowatt hora (kWh) é a energia gasta por um aparelho que tem 1 quilowatt – ou 1000 watts – de potência, durante uma hora.


Para saber quanto custa a energia elétrica gasta por cada aparelho, basta multiplicar a potência do aparelho pelo tempo de consumo e, em seguida, multiplicar tudo pelo preço do kWh.

Leia mais: Cresce endividamento das famílias brasileiras

O porquê da bandeira vermelha


A Aneel justifica a medida dizendo existir maior possibilidade de terem de acionar as usinas termelétricas, que tem custo de geração de energia bem mais alto que as hidrelétricas. Outro fator é a diminuição do volume de chuvas, com a chegada da seca em boa parte do país.


O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.