O Programa Adequação de Quadros (PAQ) será a ferramenta utilizada para a diminuição do número de empregados na instituição. Além do corte de pessoal, o PAQ também prevê um redimensionamento do BB e o rebaixamento de 333 agências para Postos de Atendimento Avançado.

Sem divulgar o impacto financeiro do PAQ e o justificando apenas como “medida para ampliar a competitividade” do banco, a publicação do fato notável na manhã desta segunda, 29, mostra que a nova diretoria abandonou completamente a definição de Banco Público na instituição.

A previsão é que o PAQ corte 2,2% do quadro de empregados, utilizando para isso a eliminação de cargos considerados sobressalentes. Os empregados que não conseguirem realocação deverão participar de um processo de Desligamento Incentivado.

Os números do PAQ

Até agora foram divulgados alguns números da decisão da diretoria do Banco do Brasil.

  • Criação de 42 novas agências;
  • Rebaixamento de 333 agências em municípios que não possuem estrutura bancária para Postos de Atendimento Avançado;
  • Corte de aproximadamente 2,2% de empregos – cerca de 2.200 empregados.

Boatos, rumores e realidade

Segundo Wagner Nascimento, coordenador da comissão de empresas dos funcionários do Banco do Brasil pela Contraf-CUT, o boato já existia há tempos. “Já havia rumores sobre os ajustes de quadros, porém não se sabia como seria feito e nem quando. Chegamos a divulgar uma nota desmentindo o boato de que as entidades representantes dos trabalhadores saberiam dos planos do banco”.

Outro rumor que está em alta é o de que o jornal Correio Brasiliense estaria sendo utilizado pelo Banco do Brasil como canal preferencial para vazamentos seletivos. Segundo o MNOB – Movimento Nacional de Oposição Bancária, em postagem em rede social no último domingo, o veículo de imprensa tem causado imensa apreensão nos empregados do banco.

Perguntado, o Banco do Brasil apenas enviou o documento disparado à toda a imprensa falando sobre o PAQ e frisando que não haverá corte de pessoal, apenas remanejamento.

Demissão incentivada

Empregados que optarem pelo desligamento serão incentivados pela instituição. Os valores são de até 7,8 salários para os funcionários que têm até 20 anos de trabalho na instituição e 9,8 salários para quem tem mais de 20 anos de casa. O teto para a remuneração é de R$200 mil.