Líder nos financiamentos, o Banco do Brasil financia de 57% a 60% do total de empréstimos do segmento agro. Só para a safra de 2019/2020 serão destinados R$ 103 bilhões.

Banco do Brasil financia quase 60% da agropecuária feita no Brasil.
Núcleo Rural Pipiripau, Planaltina, DF. Foto: Tony Winston/Agência Brasília.

Da agricultura familiar ao agronegócio para a exportação, os números da “roça” estão sempre em pauta no Banco do Brasil. O setor agropecuário foi responsável por 21,6% do PIB em 2018, e grande parte deste montante foi financiado por meio do banco. A capilaridade do BB, que está presente em 5.429 cidades brasileiras e 21 países, é uma das variáveis que promove esse encontro do campo com a cidade. Ela possibilita que até nas menores cidades do país haja linhas de crédito disponíveis.

A outra, e talvez mais importante variável, é o fato do Banco do Brasil ser um Banco Público. Isso faz o BB ser comprometido com o desenvolvimento do país e da sociedade. Por isso, investe fortemente nos setores que gerem renda e emprego, dinamizando a economia.

Sua atuação anticíclica na crise de 2007/2008 foi fundamental para que a economia brasileira passasse sem muitas turbulências. A crise financeira surgiu nos Estados Unidos e se espalhou pelo mundo com rapidez e intensidade, porém, por aqui foi uma “marola”.

via GIPHY

via GIPHY

Governo, não mexa com o Banco do Brasil ou #NãoMexeNoMeuBB

Sob ameaça de privatização, o banco de economia mista tem como acionista principal o governo brasileiro. E é exatamente por isso que é utilizado como uma ferramenta econômica para o desenvolvimento do país.

Esse papel não pode acabar. O Banco do Brasil além de ser estatal, é público, ou seja, de brasileiras e brasileiros. Os funcionários, por meio da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB), criaram uma campanha em defesa do banco.

#NÃOMEXENOMEUBB é a hashtag utilizada por quem defende que o Banco do Brasil siga sendo público e voltado às demandas de toda a sociedade.