Constituído por 6 fundações partidárias, o Observatório da Democracia falou sobre cem dias de governo Bolsonaro. O fórum de debates sobre a democracia produziu análises sobre as políticas públicas

Reunidos no dia 10 de abril na Câmara dos Deputados, em Brasília, diversos intelectuais e parlamentares estavam presentes para a análise dos 100 primeiros dias de governo de Bolsonaro. Na mesa estavam presentes além de representantes das seis fundações que compõe o fórum, a presidenta do Observatório Judaico dos Direitos Humanos no Brasil, Clarisse Goldberg.

Foram analisados fatos relevantes desse primeiro trimestre de governo, além das medidas propostas e das metas prioritárias. Dos aspectos econômicos citados, os mais importantes foram:

  • A extinção do Ministério do Trabalho, com a divisão de suas atribuições entre os Ministérios da Justiça, Segurança Pública e no super Ministério da Economia, o que segundo os analistas é um aprofundamento da Reforma Trabalhista e do fim da regulamentação estatal do setor;
  • O Comércio Internacional, cujos frutos ainda são incertos pelas dissidências com os maiores parceiros do Brasil, como China, Irã e Oriente Médio, e o reforço de aproximação de parceiros comerciais que atuam nos mesmos mercados que o Brasil;
  • Redução Tarifária do Mercosul, prometida, porém interrompida por um acordo bilateral Brasil -EUA em que não se respeitou a regra do bloco econômico ;
  • Reforma da Previdência, cujo projeto foi entregue, mas suscita necessários debates e foi muito criticado por todos os analistas.

Mesmo com a definição desses quatro pontos diretamente ligados à Economia, é fato que todas as outras políticas públicas do início do governo debatidas têm impacto importante na economia do país.

É preciso seguir observando o governo de perto para se posicionar frente à política liberal do governo conduzida pelo Ministro Eduardo Guedes e pelo presidente Bolsonaro.